[Livros em Série] Um Perfeito Cavalheiro

Olaa genten!

Vim trazer o terceiro livro dos Bridgertons aqui pra vocês!

Um Perfeito Cavalheiro

Livro: Um perfeito cavalheiro
Autor: Julia Quinn
Série: Os Bridgertons #3
Páginas: 304
Editora: Arqueiro

Nessa história vamos conhecer Benedict, o mais alto dos irmãos..hahaha! Benedict até então não havia se apaixonado e nem espera se apaixonar tão cedo, até aquele baile de máscaras…

Nesse baile, Benedict conhece uma dama de vermelho, por quem logo se encanta. Os dois trocam conversas, e por mais que ele insista em saber o nome ou mais detalhes sobre a moça, ela não revela nada de sua verdadeira identidade…e meia noite ela o deixa. Parece semelhante a um conto de fadas?? Não é à toa, porque parece mesmo o início de Cinderela!

Sophie aqui é a nossa Cinderela! Ela é filha ilegítima de um Conde, e quando seu pai morreu, a madrasta a fez de criada. Sophie se dá bem apenas com uma de suas ” irmãs” postiças…que por acaso a mãe também não dá valor. Nessa noite do baile, Sophie consegue escapar para poder participar do baile! Ela apenas queria viver um pouco essa vida de realeza, e não esperava topar e passar esse tempo com Benedict!

E se ela, criada, conhecia Os Bridgertons? Claro! Não posso deixar de mencionar aqui algo importante! Nesses livros que resenhei aqui, da série “Os Bridgertons”, no início dos capítulos, temos uma coluninha de fofoca de uma Lady misteriosa que conta algumas coisas interessantes da sociedade londrina! E é por meio delas que Sophie conhece Benedict, mesmo ele estando de máscara, não tem como não o reconhecer!

Se Sophie se apaixonou? Claro! Mas ela sabe que as coisas não são assim…Sophie sai da casa da madrasta, e começa a trabalhar como faxineira em outra cidade. Três anos depois daquele baile, ela volta a encontrar Benedict de uma forma um tanto inesperada…enquanto ela fugia da cada dos patrões após ser assediada. Benedict a salva e a leva até um chalé que ele possui ali por perto, no meio de uma chuva.

Mas né? Como criada, Benedict não a reconhece, o que deixa Sophie triste…mas ele acaba apaixonando-se por Sophie, mas em sua cabeça, ele não podia deixar a sua dama de vermelho! E se ele se entregasse à Sophie e sua dama voltasse a aparecer? Ele propõe à Sophie ser sua amante, mas claro que ela não quer isso!

“-Acho que vou beijá-la – murmurou ele.
– Acha?
– Acho que preciso beijá-la -acrescentou Benedict, parecendo não acreditar direito nas próprias palavras.- É como respirar. Não há muita escolha.”

Também vamos conhecer Benedict como um Bridgerton …e todo o seu íntimo! Ver o que esse casal vai enfrentar para conseguir ficarem juntos! Olha, a história pode até parecer inicialmente com Cinderela, mas não fica somente nisso, te garanto!

Eu gostei muito do terceiro livro!! Os Bridgertons não me decepcionam! Hahahha!

Até a próxima!

Anúncios

[Livros em Série] O Visconde que me amava

Olaa genten!!

Mais um livro aqui da maravilhosa Julia Quinn! Dessa vez irei lhes apresentar…Anthony Bridgerton!

O Visconde Que Me Amava

Livro: O Visconde que me amava
Autor: Julia Quinn
Série: Os Bridgertons #2
Editora: Arqueiro
Páginas: 288

 

Anthony é o mais velho dos filhos de Violet Bridgerton, e por causa disso, sempre se sentiu responsável por seus irmãos. Sabe que precisa se casar, mas nem por isso se sente à vontade com a ideia. Sua família sempre foi cheia de amor, e os filhos sabem como seus pais se amavam, e por isso também sempre foram incentivados a buscar o amor em seus futuros casamentos.

Por ser herdeiro da família, Anthony acredita que deve buscar um casamento que possa dar continuidade a sua linhagem, e acaba por decidir procurar um casamento por conveniência, e não por amor em primeiro lugar. Afora isso, Anthony não acredita que viverá por muito tempo, e isso é um outro empecilho que impede ele de buscar um amor, por medo mesmo de amar e morrer em seguida.

Bom, com isso em mente, Anthony escolhe sua futura esposa, a mais cortejada da temporada, Edwina! Mas não esperava que para cortejar Edwina teria que também ter aprovação de sua irmã Kate…

Kate perdeu sua mãe quando ainda era muito jovem, nem ao menos se lembra de como era sua mãe. Passou a morar com a madrasta, que sempre a amou como uma filha, e Edwina, sua irmã, por quem tem muito carinho e procura sempre proteger. Por causa disso, ao ver Anthony, libertino, decidido a cortejá-la, resolve impedir.

“Ele a queria. Era excitante. Ele podia ser um homem e, portanto, encontrar satisfação com qualquer mulher, mas, naquele instante, a queria. Kate tinha certeza disso. 
E isso a fez sentir-se a mulher mais bela na face da Terra.”

Mas com isso, Kate acaba conhecendo cada vez um pouco mais esse homem, e ela, que sabia que seria sempre solteirona…vê-se apaixonando pelo rapaz. E por essa com certeza, ela não esperava! Muito menos Anthony, quando percebe que está deixando-se encantar pela irmã de quem devia cortejar!

O segundo livro da série Os Bridgertons é ótimo!!! Não deixou a desejar em nenhum momento! Os dois personagens foram muito bem construídos e são apaixonantes!! Não posso comparar esse com o primeiro ” O Duque e eu”…amo os dois!!! Anthony mostra aos poucos suas dificuldades, os motivos de achar que morrerá jovem…e Kate também mostra a eles o medo que possui. Os dois enfrentam seus medos juntos, e a história é incrível! Faz-me querer viver nessa época sabe? Hahahhaa!

Quem gosta de romance de época não pode deixar de acompanhar essa série! Logo mais trarei o terceiro aqui pra vocês!

[Livros em Série] O Duque e Eu

Olaa genten!!

Faz um tempo já que me propus a vir aqui resenhar sobre a série da Julia Quinn, ” Os Bridgertons”. Primeiro pensei em fazer uma resenha falando sobre todos, mas aí pensei melhor, e decidi resenhar separado mesmo, para ficar mais breve a leitura. Então vamos lá.

O Duque e Eu

Livro: O duque e eu
Autor: Julia Quinn
Série: Os Bridgertons (livro 1)
Editora: Arqueiro
Páginas: 288
Simon Basset, o irresistível duque de Hastings, acaba de retornar a Londres depois de seis anos viajando pelo mundo. Rico, bonito e solteiro, ele é um prato cheio para as mães da alta sociedade, que só pensam em arrumar um bom partido para suas filhas. Simon, porém, tem o firme propósito de nunca se casar. Assim, para se livrar das garras dessas mulheres, precisa de um plano infalível. É quando entra em cena Daphne Bridgerton, a irmã mais nova de seu melhor amigo.
Apesar de espirituosa e dona de uma personalidade marcante, todos os homens que se interessam por ela são velhos demais, pouco inteligentes ou destituídos de qualquer tipo de charme. E os que têm potencial para ser bons maridos só a veem como uma boa amiga. A ideia de Simon é fingir que a corteja. Dessa forma, de uma tacada só, ele conseguirá afastar as jovens obcecadas por um marido e atrairá vários pretendentes para Daphne. Afinal, se um duque está interessado nela, a jovem deve ter mais atrativos do que aparenta.
Mas, à medida que a farsa dos dois se desenrola, o sorriso malicioso e os olhos cheios de desejo de Simon tornam cada vez mais difícil para Daphne lembrar que tudo não passa de fingimento. Agora ela precisa fazer o impossível para não se apaixonar por esse conquistador inveterado que tem aversão a tudo o que ela mais quer na vida.

Esse primeiro livro vamos conhecer a família Bridgerton. São 8 irmãos e a mãe Violet. Nesse primeiro, a história estará focada em Daphne, a 4º mais velha, mas a mais velha das garotas.

Daphne Bridgerton, apesar de querer sim casar, não fica correndo atrás, pois ela acha que já está ficando meio velha para aquela época. Os pretendentes que a procuram nunca realmente a deixaram interessadas, e outros que são mais interessantes sempre a vêem como amiga. Na verdade, é assim que Daphne é. Amiga de todos, uma mulher fácil de conversar e sem muitas pecuinhas.

É aí que durante um baile, ela conhece o duque de Hastings, Simon Basset. Simon é amigo de seus irmãos mais velho, principalmente de Anthony, o mais velho. Simon passou seis anos longe de Londres, e resolveu retornar. Rico,  bonito, inteligente, ele acaba tornando-se um alvo para as mães que buscam casar suas filhas. E para ele, isso é péssimo.

Simon não tem intenção nenhuma de se casar, e ao conhecer Daphne e sua situação, bola um plano para que tudo se resolvesse. Simon propõe cortejá-la,e explica que desse modo ele afasta as mães de cima dele, além de atrair pretendentes à ela. Poxa, se um duque está tão interessado nela, deve ser muito especial! Daphne, apesar de parecer errado, aceita o plano, e os dois começam a por em ação.

Claro que Anthony não vê com bons olhos! Ele ama sua irmã e conhece a fama de Simon, e fica em cima dos dois! *Chega a ser engraçado!*

É claro que o plano deixa de ser apenas um plano, e Daphne percebe que está apaixonada por Simon…mas percebe que para algo mais, terá que entender o que torna Simon tão receoso quanto ao amor. A gente passa a conhecer mais sobre o passado do duque, e ah! o modo como ele enfrenta sua gagueira.

Simon tem problemas de gagueira desde criancinha, e se esforça ao máximo para compensar isso sendo um homem muito inteligente, articulado. Vocês irão saber mais sobre esse passado dele lendo o livro, ok?

Pois é! Com essas diferenças, acaba sendo difícil um pouco o relacionamento dos dois! Vemos o desenrolar do romance, e Daphne ajudando-o a superar o passado. A narrativa em terceira pessoa nos mostra os pensamentos dos dois e achei isso muito positivo!

Olha, como romance de época, temos uma breve ideia do que esperar, né? Mas o jeito que Julia Quinn escreve me deixou apaixonada pelo livro…e pelo seu personagem Simon Basset, que eu adorei demais!!

Esse primeiro livro está ótimo e vale muito a pena a leitura!! Em breve estarei trazendo o segundo livro da série! Aguardem!

[Resenha] #Livro 04/2017 – Escola: Os Piores Anos da Minha Vida by James Patterson

ESCOLA_OS_PIORES_ANOS_DA_MINHA_VIDA_1357833949B

Título: Escola: Os Piores Anos da Minha Vida

# Escola – Livro 01

 Autor: James Patterson

Editora: Arqueiro

Páginas: 288

É o primeiro dia de aula em sua nova escola, mas Rafa Khatchadorian já sabe que será o pior ano de sua vida. Como se não bastassem seus problemas em casa, agora ele terá que descobrir como sobreviver ao sexto ano.

Por sorte, Rafa bolou o melhor plano de todos os tempos: ele se propôs a quebrar todas as regras do colégio, valendo pontos.

Porém, professores, pais e valentões não curtiram essa ideia mirabolante. Será que o plano vai passar de mágico a trágico? (retirado do skoob).

Olá, kika here !~

Hoje vim falar sobre um livro que estava na minha lista de leitura a um bom tempo, mas sobre o qual eu não tinha muitas expectativas.

Conheço o autor por suas publicações da série de livros Alex Cross – os quais ainda não li, mas que gostaria muito – e me surpreendi ao saber que ele possuía uma série voltada para o público infanto-juvenil.

O livro ‘– Escola: Os Piores Anos da Minha Vida’, o primerio da série ‘Escola’ do autor James Patterson, conta a história de Rafael Khatchadorian, conhecido como Rafa, um menino que acaba de iniciar seus estudos no sexto ano. Ao chegar a escola, os alunos recebem um exemplar de um livro da escola Escola Municipal Hills Village, que contém todas as regras de conduta do local, regras essas que não devem ser quebradas, sendo que o aluno que o faz, recebe uma punição.

Tudo que Rafa deseja é passar despercebido na escola, nesse ano que será o pior de sua vida. Porém, desde o começo percebe que essa não será uma tarefa fácil, ao se deparar com o valentão da escola que passa a pegar no seu pé.

Numa tentativa de escapar dessa ‘prisão’ horrível que é a escola, Rafa se junta ao seu melhor amigo Leo e bola um plano mirabolante: quebrar todas as regras da escola, e assim, terminar o ano fora da escola, ou ainda, pelo menos de uma forma que os valentões o deixem em paz.

A leitura do livro é muito leve, sendo que quando você percebe, o livro já até acabou. A leitura flui. Além disso, o personagem Rafa é retratado como uma pessoa de imaginação bem fértil – apelidando professores, imaginando estar lutando com um dragão ao discutir com a professora, etc – e por essas e outras o livro traz inúmeras ilustrações feitas por Laura Park, para representar as ideias, imaginações e desenhos feitos por Rafa.

“E o melhor era que ninguém mais estava rindo de mim. Agora, todos estavam rindo junto comigo. Isso fazia toda a diferença! Tipo noite e dia, preto e branco…

Ou, nesse caso, perder e ganhar”

Um dos motivos que considero esse livro como uma leitura fácil, é pela sua simplicidade, com uma narração em primeira pessoa.

Além dos problemas na escola, Rafa ainda compartilha como se num diário, as situações enfrentadas em sua casa, em que a mãe trabalha que nem uma condenada para sustentar os filhos, o namorado folgado da mãe que só quer saber de ficar no sofá vendo tv e sua irmã mais nova. Ainda, Rafa tem sua primeira paixão de escola, por uma menina que prefere seguir a risca as regras.

Eu empaquei nos livros que estava lendo e escolhi esse livro para tentar me trazer de volta as leituras e foi sim uma leitura pra lá de agradável, super recomendada.

– Nas Telonas –

Em 2016, o livro foi adptado para as telonas, em um filme que leva o mesmo título “Escola: Os Piores Anos da Minha Vida”.

erscolafilme

A sinopse do filme consta:

Rafe Katchadorian é um adolescente que, para além de ter uma imaginação muito fértil, sempre teve dificuldades em cumprir regras. Quando vai parar a uma escola secundária cujo diretor é um maníaco do controlo, pensa que é o local indicado para dar azo à sua imaginação e quebrar as quase cem restrições daquela instituição. A ajudá-lo nesta arriscada missão terá Leo, um rapaz tímido e introvertido que se tornou o seu amigo mais próximo. Como seria de esperar, essa ideia, apesar de divertida, vai trazer-lhes problemas muito sérios…

Uma comédia realizada por Steve Carr (“Dr. Dolittle 2”, “O Guarda-Fraldas”, “O Segurança do Shoping”), com participação de Griffin Gluck, Lauren Graham, Alexa Nisenson e Thomas Barbusca, entre outros. (retirado do site Cinecartaz)

Eu não cheguei a ver o filme ainda, mas conferi os vários trailers e pude notar certas mudanças que rolaram na adaptação do livro para o filme. Mas, parece um filme legal de se assistir. Um pouco ‘comédia infanto-juvenil’ típica, mas como o livro, espero que tenha aquele ‘tcham’ a mais que surpreenda.

Confira aqui o trailer:

P.S.: Estamos um pouco sumidas do blog né? Eu confesso que esqueci de postar no fim de semana. Eu tinha tudo planejado pra postar, e esqueci. Acordei na segunda pensando que faltava algo e aí me toquei que deveria ter atualizado o blog e não o fiz. Na terça a Naachan teve problemas com o site e não conseguiu postar. Mas agora estamos de volta!

#LIVRO 28 – A Toda Prova by Coben, Harlan

A_TODA_PROVA_1420912608430787SK1420912608B

Título: A Toda Prova

Mickey Bolitar # 03

Autor: Harlan Coben

Editora: Arqueiro

Páginas: 224

Oito meses se passaram desde que Mickey Bolitar presenciou a trágica morte de seu pai. Por muito tempo, o garoto não teve nenhum motivo para questionar o que aconteceu naquele acidente fatal.

Porém, de repente, ele começa a perceber mentiras, segredos obscuros e questões sem resposta que o deixam desnorteado. Por que sua vizinha reclusa afirma que Brad Bolitar está vivo? Por que o paramédico que tentara socorrer seu pai reapareceu subitamente na cidade?

Mesmo ansiando pela solução do mistério, Mickey precisa se dedicar a outro estranho caso. Sua amiga Ema revela que começou um relacionamento pela internet e que está apaixonada. Contudo, seu suposto namorado sumiu sem explicação. Recusando-se a acreditar que foi enganada, ela pede a ajuda de Mickey.

Aparentemente, a fama do sobrinho de Myron Bolitar como investigador já se espalhou, pois até seu rival, Troy Taylor, suplica que ele o auxilie. O garoto foi pego no exame antidoping e ficará de fora do time de basquete em seu último ano na escola. Ainda que desconfiado, Mickey acaba se envolvendo em uma trama que se mostrará mais grave do que parece.

Neste desfecho da série, três mistérios mobilizam a vida do jovem herói, mas nada pode prepará-lo para a grande verdade. .(retirado do skoob)

Sim, eu li esse livro já tem bastante tempo, mas a preguiça de sentar pra escrever sobre ele foi maior. Confesso que o motivo nada mais é pelo fato de que não há muito o que se falar dele.

Em partes, o livro, por ser parte de uma série, passa inclusive pela monotonia.

O recurso do autor em manter os mesmo mistérios desde o primeiro livro de certa forma torna a leitura cansativa. Sempre batendo na tecla do que é o Abrigo Abeona ou sobre a verdade sobre a morte do pai do personagem principal, o autor acaba dando voltas, repetindo o mesmo plot por diversas vezes. Inclusive, eu cheguei a decorar algumas das questões.

Um diferencial é a introdução de um novo mistério, agora envolvendo um namorado de Ema, este que ela conheceu pela internet e que estranhamente desaparece sem dar notícias. E ainda, o fato de que Troy, o inimigo escolar, se é que assim pode ser chamado, é pego no exame antidoping e pede a ajuda de Mickey para recuperar seu lugar no time. Ajudar ou não aquele que o atormentou desde que pisou na escola? É uma escolha complicada que coloca além de tudo, o basquete, esporte amado de Mickey, em ameaça.

Confesso que é difícil escrever sobre o livro e evitar spoilers, principalmente pelo fato da narrativa ciruclar sobre muitos detalhes repetitivos.

Os mistérios colocados nesse livro são nele mesmo resolvidos, o que é um ponto positivo, bem como as respostas buscadas desde o início da série.

O problema é que algumas coisas ficam um pouco soltas, ainda que tenham uma resposta. Ficam muito ao caráter da imaginação do leitor.

Acreditei que existiria um novo livro para abordar tais temas, ainda que os os dois temas principais dessa série, o Abrigo e a morte do pai de Mickey, tenham tido um desenvolvimento para um final.

Mas ao ler na internet sobre, li vários comentários de que o autor não tem a intenção de continuar essa série, sendo assim, esse seria seu último livro. Isso me desanimou bastante com a saga, por acreditar que haveria muito a se falar ainda, principalmente com a forma com que alguns detalhes nos capítulos finais foram tratados.Não sei se de fato a informação procede uma vez que não procurei detalhes oficiais sobre.

Acho que esse foi um outro motivo pelo qual enrolei tanto para escrever sobre o livro.

Mas finalmente terminei! Um tanto quanto curtinha, mas de verdade, escrever sobre um livro que tem dois anteriores evitando spoilers é meio complicado.

O livro em si, assim como toda a série, não é ruim. Apenas não é uma das melhores que já li. E se torna um tanto quanto frustrante se for mesmo assim que terá seu fim.

É recomendado por ter uma leitura fácil e rápida. Mas, desde já, e desde sempre,alerto que muita coisa se perde com a não leitura do livro da série Myron Bolitar desse autor, que introduz a história desta. Não que seja impossível entender o que se está acontecendo, mas requer um pouco mais de atenção e cuidado na leitura, pois a perda de alguns detalhes deixa a história um pouco confusa no começo.

P.s.: Estou lendo os livros da série Grau 26 e confesso que gostei bastante do primeiro livro. No meio da leitura do segundo, sem ainda ter definido o que acho dele. Vou ter uma opnião apenas após terminá-lo pois ao lê-lo, formulei uma teoria que espero, esteja errada, trazendo um plot twist que me surpreenda.

#LIVRO 27 – Uma Questão de Segundos by Coben, Harlan

UMA_QUESTAO_DE_SEGUNDOS_1371136750B

Título: Uma Questão de Segundos

Mickey Bolitar # 02

Autor: Harlan Coben

Editora: Arqueiro

Páginas: 224

Mickey Bolitar nunca teve uma vida normal. Até os 15 anos, ele morou em diversos países por causa do trabalho beneficente dos pais. Quando, por fim, os três se estabeleceram nos Estados Unidos, o pai morreu em um acidente de carro e a mãe acabou internada em uma clínica de reabilitação. Forçado a morar com seu tio Myron, Mickey descobre que está sendo vigiado por uma organização secreta chamada Abrigo Abeona e começa a investigá-la.

Uma das poucas pessoas que podem ajudá-lo é dona Morcega, uma vizinha reclusa e de passado obscuro, mas suas revelações geram mais confusão. Quando mostra a Mickey a foto de um nazista cruel que perseguiu a família dela, ele reconhece o paramédico que anunciou a morte de seu pai. Será que o homem mentiu e Brad Bolitar ainda está vivo?

Enquanto Mickey é assombrado pelas dúvidas, a tragédia se abate sobre a cidade de Kasselton. Durante um suposto assalto, a mãe de sua amiga Rachel Caldwell morre e a garota é baleada. Com receio de que o incidente seja mais um ataque às pessoas que estão ligadas ao Abrigo Abeona, Mickey se junta aos amigos Ema e Colherada para descobrir quem é o criminoso.

Nesta sequência da série iniciada com Refúgio, Mickey precisa correr para proteger aqueles que mais ama, ainda que não saiba exatamente quem é o inimigo(retirado do skoob)

Esse é o segundo livro dessa série jovem do autor Harlan Coben.

Como havia dito no post sobre o primeiro livro, fiz lambança ao realizar a leitura dessa série, tendo lido esse que é o segundo livro primeiro.

Reparei sim que tinham alguns buracos na história, me voltando a ler o Refúgio, primeiro livro da série, até que descobri que além de tudo, essa história é adventa de outra série desse autor.

Problemas e decepções a parte, devo dizer que os mistérios apresentados por esse livro foram o que me levaram a buscar os outros livros da série.

Um menino envolvido com uma misteriosa organização o Abrigo Abeona, e ainda, tentando descobrir a verdade que o concerne quanto a morte de seu pai (referência ao primeiro livro da série e ainda mais, ao livro da série Myron Bolitar, do mesmo autor).

Quando mais investiga, com a ajuda de seus inseparáveis amigos, mais perguntas surgem á Mickey.

E além de tudo, agora ele tem mais um problema. Rachel, que o ajudou no primeiro livro, sofre um misterioso atentado a sua vida. Um assalto a sua casa levou sua mãe e a deixou ferida no hospital.

O mais estranho de tudo é o fato de que Mickey não consegue chegar até Rachel. Aparentemente muitas coisas a “protegem” depois dessa terrível situação. Mas qual seria a verdade? Tudo se torna ainda mais obscuro ao se descobrir que a menina está bem, apesar de ainda estar no hospital, e que estão proibindo que Mickey entre em contato com ela. Além disso, aparentemente o Abrigo Abeona tem algo a ver com a história toda.

É complicado falar de livros policiais sem remeter a spoilers. Mas os mistérios desse livro conseguiram me prender a leitura, que foi aliás bem rápida.

A repetição em cima de alguns fatos, assim como no primeiro livro, permanece e de fato me incomodou um pouco.

Uma das grandes questões do livro é que ele não dá uma resposta aos mistérios iniciados no Refúgio, apenas demonstrando sobre o problema que ronda Rachel e o atentado a sua vida.

Isso pode tornar a leitura um tanto frustrante, motivo pelo qual a leitura do terceiro livro se torna necessária. Principalmente para pessoas que como eu adoram um livro policial e que são curiosas para descobrir as respostas dos livros.

É uma leitura bastante simples. Apesar de não ser muito fã de Coben, como dito em post anterior, essa série conseguiu captar minha atenção.

#livro 20 – Peter Pan tem que Morrer by Verdon, John

PETER_PAN_TEM_QUE_MORRER_1435264692512303SK1435264692B

Título: Peter Pan tem que Morrer

Dave Gurney – Livro 04

Autor: John Verdon

Editora: Arqueiro

Páginas: 400

Peter Pan Tem Que Morrer – Peter Pan tem que morrer traz de volta o detetive Dave Gurney, protagonista de Eu sei o que você está pensando, Feche bem os olhos e Não brinque com fogo. “Uma sofisticada trama de suspense que os aficionados por mistério adorarão tentar resolver. Com um enredo tenso, cheio de intrigas inimagináveis, Peter Pan tem que morrer desafia a inteligência do leitor até sua dramática e espantosa conclusão.” – Library Journal No mais tortuoso romance policial escrito por John Verdon, o especialista em mistérios David Gurney dedica sua mente brilhante à análise de um assassinato terrível que não pode ter sido cometido da forma como os investigadores responsáveis pelo caso afirmam que foi. Detetive aposentado do Departamento de Polícia de Nova York, ele precisa cumprir uma espinhosa tarefa: determinar a culpa ou a inocência de uma mulher condenada pela morte do próprio marido. Ao descascar as diversas camadas do caso, Dave logo se vê travando uma perigosa guerra de inteligência contra um investigador corrupto, um cordial e desconcertante chefe da máfia, uma jovem linda e sedutora e um assassino bizarro que tem a altura e os traços de uma criança – aparência que lhe rendeu o apelido de Peter Pan. A uma velocidade assombrosa, reviravoltas assustadoras começam a ocorrer e Dave é sugado com força cada vez maior para dentro de um dos casos mais sombrios de sua carreira. (retirado do skoob)

Sou fã da série de livros do autor John Verdon que contam as façanhas do detetive aposentado Dave Gurney.Peter Pan tem que Morrer se trata do quarto livro dessa série.

Gosto muito da forma como Verdon explora sua narração, sendo ela sempre dinâmica mas com os pontos bem amarrados, sempre intercalando entre a vida pessoal de seu personagem principal, quanto sua vida profissional, mesclando as sensações deste e de outros personagens, de forma a convergir essas duas “vidas”.

Uma coisa muito legal do Verdon é a forma como seus personagens, não somente o principal mas como os demais, são bem estruturados em seus papéis, principalmente no que diz respeito ao emocional e ao psicológico.

Dessa vez o ex-detetive se depara com um novo desafio, e mesmo aposentado se envolve em uma séria investigação de um assassinato estranho.A pedido de um amigo, se torna um investigador particular, na tentativa de provar a inocência de uma mulher acusada de matar o marido.

A trama envolve um grande esquema complicado, com uma vítima de grande poder político e monetário.

O autor se mostra muito competente ao narrar de forma empolgante diversos mistérios que por muitas vezes durante a leitura do livro parecem ser “sem resposta”, mas que depois se mostram de sutil importância para a resolução do caso final.

A curiosidade que o autor instiga é um grande motivador para a leitura rápida desse livro. O mais legal do mistério que torna o leitor curioso, não somente nesse livro do autor, é o de tentar adivinhar qual é o próximo passo, ou ainda, qual o resultado final, que se mostra difícil de sere adivinhado ao longo da leitura – sem deixar muitas pistas sem sentido – o que é um grande diferencial para pessoas, que como eu, amam leitura policial.

P.S.: Mais um livro terminado. Praticamente na metade da jornada do desafio. E com o cronograma atrasado. Mas vai dar tudo certo. Eu espero lol