#Livro 19/2016 e #MLI2016 – Tudo Pode Acontecer by Will Walton

Tudo Pode Acontecer.jpg

Título: Tudo Pode Acontecer

 Autor: Will Walton

Editora: V&R

Páginas: 248

Tretch Farm vive em uma cidadezinha no interior dos Estados Unidos onde todo mundo sabe da vida de todo mundo. O que torna ainda mais difícil o fato de ele estar apaixonado por Matt, seu melhor amigo. Matt não desconfia de absolutamente nada e Tretch não sabe se isso é bom ou ruim… Para ele o problema não é apenas com Matt. Sua família não tem ideia de quem ele realmente é e o que ele realmente pensa no auge dos seus quinze anos. sua mãe acredita que o filho está prestes a sair com uma garota. E Bobby Handel, que sempre insinua que Tretch é gay na escola, mal sabe que está bem perto da verdade. Aos poucos essa história revela que viver uma mentira pode não ser a melhor escolha para alguém que busca a felicidade. (retirado do skoob)

O livro conta a história de Tretch Farm, um menino que mora no interior dos EUA e que está passando por aquela fase da vida que todo adolescente passa. Dúvidas quanto a vida e quanto ao futuro, problemas sobre o amor, amizades.

O livro gira em torno de seu dia-a-dia, que abrangem suas relações familiares, os amigos e o amor, e a aceitação por parte dele mesmo da descoberta de que está apaixonado pelo melhor amigo, Matt.

Matt, seu colega de escola e melhor amigo, veio de Nova York e tem uma história interessante. Ele tem dois pais, e por esse motivo sofre bullying na escola. Mas para Tretch, isso não é nada demais. Aliás, Tretch esse que também sofre bullying na escola, principalmente por ser amigo de Matt.

Boatos e piadas são feitas quanto a relação dos dois, em decorrência do status dos pais e Matt, mas Tretch nem liga. E, para ele, no seu consciente, não tem muito o que fazer, uma vez que o responsável por liderar os ataques contra si, Booby Handel, é ninguém menos que o filho do sócio de seu pai.

No meio da confusão de sentimentos de Tretch, Matt se interessa por uma menina, Amy, e passa a requisitar a ajuda de Tretch para conquistá-la, uma vez que esse a conhece. Isso, devo dizer, corta o coração de Tretch, mas mesmo assim decide ajudar seu melhor amigo, sendo que podemos acompanhar durante o livro, ainda que de forma sutil, uma vez que não é um lado da história muito explorado, o crescimento da relação de Matt e Amy.

Um dos lados que mais gostei do livro é o fato de que Tretch tem um irmão mais velho, e esses são super próxims, conversando sobre tudo, sendo até mesmo ele a primeira pessoa para quem Tretch se abre, de forma honesta, quanto ao seus sentimentos e sua orientação sexual. O mesmo, infelizmente, não acontece com seus pais. Percebemos durante a narrativa, uma certa relutância dos pais de Tretch quanto aos pais de Matt, o que nos mostra que talvez, eles não fossem compreensivos quanto ao assunto, fato que trazia a relutância de Tretch em tocar no assunto com eles.

Outra coisa legal é a relação dele com seus avós. Eu tenho convívio presente com os meus, e acho muito importante essa relação. Aqui vemos mais um assunto difícil de lidar. O avô de Tretch descobre que tem câncer. Vemos a perspectiva de uma família ante a doença de um ente querido, não querendo ter que se preparar para o adeus.

O livro é bonitinho, e trata de um assunto sensível, de forma sensível. Não há uma super explaração do ‘sou gay’, mostrando Tretch como um adolescete que tem seus problemas de adolescente. Assim, acompanhamos essa transição de Tretch quanto a sua orientação sexual de forma leve.

O grande porém em Tudo Pode Acontecer é que, não aconteceu.

A escrita em si do autor é muito boa, ela flui, tornando a leitura fácil, e de fato, muito rápida. Apesar de, por ser um livro que apesar de tratar temas polêmicos, ao não se aprofundar neles, deixa a leitura mais fácil. Entretanto, o não aprofundamento em nenhuma das questões abertas no livro- homossexualidade, amor pelo melhor amigo, doença do avô, etc – é que de certa forma, parece com que não houveram respostas, deixando tudo muito solto, tudo muito sem final.

O autor começa o livro super bem, os personagens são muito reais, e você acaba se apegando a eles, porém, o autor não consegue desenvolver a história, não explorando muito os temas aplicados no livro, seja da descoberta de Tretch, a temática do bullying, e ainda, a temática do amor x amizade. Isso de certa forma me deixou um pouco decepcionada durante a leitura do livro, principalmente quando cheguei em seus capítulos finais.

P.S.: Finalmente voltei no ‘tempo’ e estou postando o último livro da maratona que foi, olha só, em agosto. Mas, aos poucos vou colocando as coisas em dia por aqui

Anúncios

#Livro 18 e #MLI2016 – O Destino da Número Dez (Os Legados de Lorien #06) by Pittacus Lore

CAPA_ODestinoDosDez_WB.jpg

Título: O Destino da Número Dez

(Os Legados de Lorien #06)

 Autor: Pittacus Lore

Editora: Intrínseca

Páginas: 320

Dessa vez vou colocar o alerta spoiler bem aqui, uma vez que para quem não leu nenhum dos livros da saga Legados de Lorien, o resumo do livro em si já é um spoiler gigante. Só vá em frente se você tiver certeza de que receber infos sobre o livro – e uma série inteira – não irá prejudicar sua leitura, nem deixar você bravo – ou seja, se você for sensível quando o assunto é spoiler – no mais, posso dizer que se você não conhece a série, eu particularmente acho que ela vale muito a pena. Eu na verdade tentei fazer uma resenha sem muita informação que entregue a história, mas como eu já tinha comentado em um post anterior aqui no blog, é impossível escrever sobre um livro em série, quando esse já é o sexto livro dela. Mas, se rolar interesse quanto à saga, e você ainda não leu nada sobre ela e prefere começar do começo, tem resenha de todos os livros aqui no blog e um resumão da série até o momento também.

Eu sou o número quatro

O poder dos seis

A ascensão dos nove

A queda dos cinco

A vingança dos sete

Livros em Série – Os Legados de Lorien

 

 

A Número Um foi capturada na Malásia.

A Número Dois, na Inglaterra.

O Número Três, no Quênia.

E o Número Oito, na Flórida.

Mataram todos eles.

Eu sou a Número Seis.

Mas nossos números não tem mais importância.

Agora não somos mais os únicos com Legados.

O fim está próximo. Por anos, a Garde lutou contra os mogadorianos em segredo. Mas agora a invasão começou e os mogs vieram para ficar. John lidera a batalha em Nova York. Quando tudo parece estar contra os lorienos e a humanidade, Sam, seu melhor amigo, inexplicavelmente começa a desenvolver poderes – os Legados. Enquanto os dois tentam encontrar Cinco e Nove em meio ao caos e à destruição, eles se deparam com uma adolescente com habilidades que antes pertenciam apenas aos Gardes. Se ela é uma inimiga ou aliada, só o tempo dirá.

A Garde está enfraquecida, lutando para sobreviver. A única chance de vencer a guerra contra os mogadorianos de uma vez por todas é destruir seu líder – mas destruí-lo significa condenar Ella a um destino cruel. Se os Gardes não encontrarem uma forma de deter os mogs, acontecerá com os humanos o mesmo que aconteceu com os lorienos: todos serão aniquilados. (retirado do skoob)

O que dizer desse livro?

Tudo começa pelo fato do livro anterior ter acabado bem na hora em que as coisas estavam ficando tensas entre a Garde e Setrákus Rá. Nova York destruída, parte do mundo dominado pelos mogadorianos, a humanidade ameaçada e completamente assustada. Para piorar, a Garde não pode ferir Setrákus Rá sem que Ella seja também afetada.

A Garde ainda tem outro problema, Nove e Cinco estão em conflito em algum lugar dos EUA, John e Sam tentando encontrá-los. Enquanto isso Seis e Marina, juntamente com Adan, estão no Templo Lorieno, e não tem como sair do lugar, uma vez que foram sabotados por Phiri Dun-Ra.

Mas nem tudo parece estar perdido. John e Sam encontram pelo caminho na busca de Nove e Cinco uma menina que parece ter desenvolvido poderes de telecinesia, assim como Sam. O problema é que ela não parece lá muito confiável, uma vez que está confusa com tudo que anda acontecendo na Terra e na sua vida, agora com poderes especiais alienígenas.

No meio dessa confusão, Ella entra em contato com John, tentando lhe passar informações úteis contra Setrákus Rá, informando ainda que os planos dele incluem atacar o Templo de Lorien, local onde se encontram Seis e Marina. John então passa a tentar pensar em um plano que inclui achar Nove e Cinco e ainda, avisar aos outros que eles correm perigo se permanecerem no Templo.

Aí é que surgem agentes do FBI que os abordam, obrigando John, Sam e a nova menina, a se reunirem com a Agente Walker e outros agentes da inteligência americana, que querem que a Garde lhes forneça informações para parar a invasão mogadoriana.

O grande problema para a Garde é a politicagem – como tudo na vida – uma vez que os grandes representantes do país estão inclinados a negociar com os mogs, tentando evitar a todo custo um confronto direto com eles. O problema é que a exigência é que o governo entregue os Gardes.

Em meio a negociações John consegue entrar em contato com Seis, sendo que ao avisar que Setrákus Rá está se dirigindo para lá, decidem ficar e tentar proteger o local, com a promessa de John de que este vai tentar se juntar a eles.

Então, tudo desanda. O local onde John se encontra sofre uma ataque de uma criatura estranha, Setrákus Rá alcança o Templo de Lorien, e entra em luta com Seis, Marina e Adan. Tudo parece perdido. Até que surge uma ajuda inesperada aos protetores do Templo. Muita luta e explosões e uma interferência inesperada de Ella, com uma conferência da Garde, que pode mudar todo o rumo da história.

O livro é muito bom. Eu sou suspeita para falar, claro, sendo fã incondicional da série. Apesar do livro ser mais parado em alguns momentos, sem muita ação, foram interferências necessárias para dar um rumo a trama, introduzindo o roteiro do próximo livro, que é aliás, o último da saga, além de explicar muuuitas coisas deixadas no ar nos livros anteriores. É basicamente um livro de ligação da série para o seu final.

A ação fica deslocada para o final do livro, terminando de forma crítica, bem naquela hora que quem está lendo está tão absorto nos fatos, que quando acaba bate até uma revolta pelo autor terminar o livro daquele jeito. O gancho para o próximo livro foi feito de forma espetacular.

A pior parte do livro é ter que esperar para ler a continuação. O último livro da série – que eu já comentei sobre por aqui – já foi lançado fora do Brasil. Estou me segurando para não ler ele em inglês, mas como tenho todos os livros da série na versão brasileira, decidi esperar até o final do ano para ler. Agonia total nessa espera.

Como sempre, super recomendo a leitura da série. Acho ela incrível em diversos aspectos!

P.S.: Finalmente saiiiuu a resenha. No fim, decidi pelo alerta spoiler e fazer uma resenha completa. Estava muito difícil tentar escrever de forma genérica, ainda mais considerando esse ser o penúltimo de uma série inteira.

Aos poucos vou me organizando e colocando as coisas no eixo, melhorando o blog, atualizando. Tenham paciência comigo! ^^

#Livro 17/2016 e #MLI2016 –  A Lista de Brett by  Lori Nelson Spielman

brett

 

Título:  A Lista de Brett

 Autor: Lori Nelson Spielman

Editora: Verus

Páginas: 364

 

Brett Bohlinger parece ter tudo na vida — um ótimo emprego como executiva de publicidade, um namorado lindo e um loft moderno e espaçoso. Até que sua adorada mãe morre e deixa no testamento uma ordem: para receber sua parte na gorda herança, Brett precisa completar a lista de sonhos que escreveu quando era uma ingênua adolescente.

Deprimida e de luto, Brett não consegue entender a decisão de sua mãe — seus desejos adolescentes não têm nada a ver com suas ambições de agora, aos trinta e quatro anos. Alguns itens da lista exigiriam que ela reinventasse sua vida inteira. Outros parecem mesmo impossíveis.

Com relutância, Brett embarca numa jornada emocionante em busca de seus sonhos de adolescência. E vai descobrir que, às vezes, os melhores presentes da vida se encontram nos lugares mais inesperados. (retirado do skoob)

 

Esse livro foi uma leitura surpresa da minha semana. Como eu estava focando nos livros de temas da MLI 2016, nem estava cogitando ler ele. Mas todo dia voltando do trabalho, passo em frente à uma antiga banda de revistas que hoje se dedida à venda de livros. E toda vez que eu passava por ela, via esse livro na estante. Ai, não teve jeito.

Foi um livro que eu comecei a ler em um sábado e terminei ali mesmo, deitada no sofá, enrolando pra ir terminar de arrumar o caos que era minha mudança, que aliás, eu ainda não terminei de mexer.

Eu comecei esse livro pois queria ler um livro mais leve, ao invés de continuar O Destino da Número Dez ou O Orfanato da Sra. Peregrine. Na verdade, não sei o que eu esperava de fato quando li o resumo desse livro pois, ele não é exatamente leve.

A história começa com Brett de luto pelo recém falecimento de sua mãe. Para ela, lidar com a perda da mãe é muito mais difícil do que para seus irmãos, afinal, era ela que estava com a mãe o tempo todo perto do fim.

Apesar de todo o luto, a mãe de Brett era uma empresária de grande sucesso, e existe um grande negócio que Brett deve assumir. Com a ajuda de Charlotte, esposa de seu irmão, que antes de sua mãe falecer, era seu braço direito na empresa.

Porém, no momento da leitura do testamento, a grande surpresa. A mãe de Brett não lhe deixa as ações da empresa, tendo Charlotte assumido sua presidência. Pior que isso, sua mãe lhe deixa uma lista de desejos que a mesma havia escrito quando era uma adolescente, e para que esta receba sua parte da herança, deve cumprí-las todas ao fim de um ano. O problema é que a Brett que escreveu aquela lista não é nem de longe a Brett que tem que cumpri-la.

Para ser bem sincera, eu não consegui me aproximar muito dos personagens desse livro. Acho que por se tratarem de personagens um pouco fora da realidade que eu conheço, uma vez serem herdeiros, ricos e tudo mais.

Mas, é interessante acompanhar a trajetória de redescoberta de Brett, através de uma lista que ela nem mesmo lembrava de ter escrito. A busca por paz de espírito, questionamentos sobre seu atual relacionamento, amizades do passado e traições enquanto tem que lidar com o luto.

Confesso, odiei muito alguns personagens do livro. Um deles, o irmão mais velho dela, uma pessoa prática. Prática até demais. Ainda mais quando estamos tratando de um momento em que eles acabram de perder a mãe. Às vezes, quando ele aparecia e falava algunas coisas, eu ficava me imaginando no lugar da personagem e dando uns tapas nele, sabe como é, só pra descarregar a raiva.

E também, ressenti um pouco a mãe dela. A verdade é, se fosse eu no lugar dela, eu ficaria com muita raiva. Não pelo dinheiro, não pela herança, mas pelo fato de saber que minha mãe me colocaria numa situação tão zoada, tão imediatamente após sua partida, com coisas que ela poderia muito bem ter me dito pessoalmente.

O livro tem ainda um certo mistério, e coincidências muito legais de acompanhar.Devo dizer que achava muito divertido acompanhar a trajetória do homem do casaco – sem mais detalhes para não dar spoiler – e ainda que eu tenha sacado essa parte da história muito rápido, tipo, já nas primeiras passagens, esse ‘mistério’ foi um dos mais legais de acompanhar de toda a história.

Apesar de não conseguir me aproximar muito dos personagens durante a leitura, e ainda, não conseguir gostar muito das partes cheia de drama – eu já disse que esse livro tem muitas passagens tristes? – não tem como não torcer para que Brett de fato complete sua lista, seja pela herança, seja pela satisfação pessoal, ainda mais quando acompanhamos as partes em que ela se livra de diversos monstros do passado.

É um livro de redescoberta e sonhos. E é diferente ver alguém ser obrigado a relembrar seus sonhos de adolescente e mais, ser obrigado a ter que ir atrás deles, independentemente do objetivo final por trás dessa motivação. Mas, é legal ver que aos poucos a personagem passa a trazer de volta para si esses sonhos todos.

P.S.: Sim, as resenhas estão tooodas atrasadas, as leituras também. Essa semana termina a MLI2016 e eu devo fazer um post encerrando a última semana dela e depois um post com um  balanço geral de como ela foi. Flop, será? E aí, seguirei postando as resenhas que faltam ao longo do mês de agosto, fora a surpresa que eu tenho preparada para este mesmo mês ainda! O blog vai ficar mais movimentado a partir de então!

#LIVRO 16 /2016 E #MLI2016 – ANEXOS BY RAINBOW ROWELL

Anexos-de-Rainbow-Rowell

Título: Anexos

 Autor: Rainbow Rowell

Editora: Novo Século

Páginas: 368

 

Beth Fremont e Jennifer Scribner-Snyder sabem que alguém está monitorando seus e-mails de trabalho. (Todo mundo na redação sabe. É política da empresa.) Mas elas não conseguem levar isso tão a sério, e continuam trocando e-mails intermináveis e infinitamente hilariantes, discutindo cada aspecto de suas vidas.
Enquanto isso, Lincoln O’Neill não consegue acreditar que este é agora o seu trabalho ler os e-mails de outras pessoas. Quando ele se candidatou para ser agente de segurança da internet, se imaginou construindo firewalls e desmascarando hackers e não escrevendo um relatório toda vez que uma mensagem esportiva vinha acompanhada de uma piada suja. Quando Lincoln se depara com as mensagens de Beth e Jennifer, ele sabe que deveria denunciá-las. Mas ele não consegue deixar de se divertir e se cativar por suas histórias. No momento em que Lincoln percebe que está se apaixonando por Beth, é tarde demais para se apresentar. Afinal, o que ele diria…? (retirado do skoob)

 

Como eu havia adiantado no post passado, Anexos foi o livro que eu li para a segunda semana da Maratona Literária de Inverno 2016, em que a temática proposta foi livros “Hype”. Adiantei ainda que tinha adorado o livro. E volto a dizer, adorei. Li ele em um dia só, sem parar para nada.

O livro se passa em um ambiente de escritório, no ano de 1999, onde as conversas por email ainda eram comum, uma era em que as redes sociais não faziam parte do cotidiano, o que nos mostra o quanto as redes sociais influenciam sim nas relações das pessoas, seja na facilidade de acesso à informação na vida dos outros, seja na facilidade de se conseguir uma interação.

Confesso que quando procurei por informações do livro na internet, fiquei um tanto receosa de ler ele, pois vi diversas resenhas dizendo que o livro era muito ruim, pois tentava romantizar uma relação ‘stalker’ e dizer que essa seria algo bonito e fofo, condenando e muito a autora. Mas no caso do livro aqui, eu particularmente não vi uma situação que se encaixaria nesses moldes, e que fosse motivo de tanta revolta com o texto do livro, mas isso é uma opinião pessoal minha.

Eu achei o livro muito fofo. Ele demonstra muito a insegurança dos personagens diante as mudanças propostas pela vida. Isso é muito retratado pelo personagem principal, que após uma experiência ruim vivida quando jovem, se encontra preso em um emprego que odeia, na casa da mãe, sem vontade de buscar independência, sem ao certo saber o que que para o futuro. Muito parecido com muita coisa que eu e pessoas que conheço que tem idade próxima a dele viveram ou vivem.

E ainda, temos uma grande demonstração de humor, na troca de email entre duas amigas que não estão nem aí para o alerta de advertência da empresa.

Um amor que acontece do contrário, antes das aparências.

Eu recomendo o livro sem dúvida nenhuma, achei ele inclusive melhor do que Fangirl, outro livro da autora, que eu li esse ano.

[off-topic] – “the road so far …” #MLI2016 (ou o fim da segunda semana de maratona e o início da tão esperada terceira)

20160622_124928-1
A foto mesmo não tem muito a ver com o post, tirando o fato de que foi tirada nessa semana.É da minha mesa do trabalho. Só estou colocando aqui porque achei que o post estava muito vazio sem nada lol. 

Olá!~

Tentando manter o blog em dia,venho aqui me manifestar sobre a segunda semana da Maratona Literária de Inverno 2016.

A verdade é que essa semana foi beem devagar, li pouco. Mas, terminei de ler o livro proposto para essa semana, com a temática Hype.

Li um livro que estava querendo muito por ter ouvido falar muito bem dele, Anexos da Rainbow Rowell.

Em breve eu posto sobre ele aqui, mas já posso adiantar que eu adorei o livro, um dos melhores que li esse ano.  A verdade é que eu li ele numa sentada. Sim, eu comecei e terminei ele no mesmo dia. Num domingo de preguiça em que eu não queria saber de estudar nem sair de casa, peguei ele cedinho e só parei de ler quando terminei lol.

Comecei também a leitura do livro O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares, que chegou no meio da semana, como eu postei no post anterior. A beleza dele é que ele encaixa tanto no tema Hype, dessa segunda semana, como também no tema da terceira semana Outros Mundos. Como não consegui terminar de ler ele, vou levá-lo então para essa semana, porém, ele vai ter que esperar um pouco uma vez que o livro que eu escolhi para a terceira semana é nada mais e nada menos do que O Destino da Número Dez, da série Os Legados de Lorien, livro que eu estou ansiosíssima para ler, e que havia me segurado um pouco para poder colocá-lo na TBR da maratona, mas agora nada me segura!

Como eu já mencionei antes no blog, eu sou muito fã dessa série então já dá pra imaginar a ansiedade de ler logo esse livro, ainda mais que este foi anunciado como o penúltimo livro, sendo o último previsto para ser lançando entre esse ano e ano que vem – ou algo assim, não me lembro ao certo –.

Estou fazendo esse post mesmo para ter um pequeno controle da maratona e do meu dia-a-dia de leitura, mas a verdade é que não aconteceu muita coisa mesmo essa semana, então um post curtinho ^^.

#LIVRO 15 /2016 e #MLI2016 – Nada Dura Para Sempre by Sidney Sheldon

552009_364114913635380_265778826802323_952500_779616661_n.jpg

Título: Nada Dura Para Sempre

 Autor: Sidney Sheldon

Editora: Saraiva

Páginas: 308

Kat Hunter, Betty Taft (Honey) e Paige Taylor são as únicas mulheres em um grupo de médicos residentes de um hospital de São Francisco. Além de trabalharem juntas, elas dividem o mesmo apartamento e protagonizam situações, no mínimo, insólitas: a primeira, por pouco não provoca a interdição do hospital; a segunda mata um doente em troca de 1 milhão de dólares; e a terceira é assassinada. Em “Nada Dura Para Sempre”, Sidney Sheldon envolve o leitor em uma trama na qual transitam profissionais da medicina e mafiosos, pacientes e viciados em drogas. Um jogo de gato e rato capaz de tirar o fôlego, com todos os elementos que transformaram os livros de Sheldon em campeões de vendas.. (reitrado do skoob)

Para todo amantes de leitura policial, Sidney Sheldon é velho conhecido, sendo ele um autor bastante famoso dessa temática.

Em Nada Dura Para Sempre, S. Sheldon conta a história de Paige, Honey e Kat, três mulheres que são médicas e estão iniciando sua vida profissional no Hospital Público Embarcadero, sendo as únicas mulheres da nova equipe, em um local dominado por homens, e mais, por machistas, onde muitos se negam a enxergar as qualidades delas, apenas por serem mulheres.

Elas então se conhecem e decidem dividir o apartamento, além de dividiram horas de confidências quanto à vida dentro do hospital, surgindo então ali uma grande amizade. No decorrer do livro a vida delas é contada, cada capítulo dividido entre a visão do dia de cada uma delas.

O livro em si começa já no centro do mistério, da confusão. Ou seja, o autor nos dá já a dinâmica do drama. Como define o resumo do livro ali citado acima, uma das doutoras mata um paciente, pelo método da eutanásia, em troca de 1 milhão de dólares. A história já começa ai, definindo a assassina, e o que demonstra ser os momentos antes de seu julgamento.

A partir de então, o autor faz um retrocesso onde passa a mostrar como a história começou, nos levando a ver cada detalhe até chegar ao dia do julgamento, que é o primeiro capítulo do livro.

O autor narra em círculos, e é muito legal a forma como ele o faz. Cada capítulo se refere a uma das personagens, mas a conexão entre eles é muito bem feita. Até que chegamos novamente ao julgamento.

O desenrolar do livro é um pouco devagar, muita coisa mesmo acontece, além do   que   se espera ao se ler sobre o julgamento. Os fatos podem eventualmente ficar confusos se o leitor não prestar atenção à quem esta narrando cada capítulo. Cada uma das personagens tem um passado peculiar, e um presente mais peculiar ainda, então é interessante ver como é narrada a porção do dia de cada uma delas, sendo que o livro é narrado todo em terceira pessoa.

Apesar de parecer que as vezes o autor está dando voltas e deixando detalhes muito à solta e às vezes desnecessários, preste atenção, porque uma hora ou outra aquele detalhe vai se encaixar na história. Essa é uma das qualidades desse autor.

Meu único problema foi.. o final do livro. Eu realmente não gosto quando o autor define a história de um personagem e depois resolve os outros em poucas linhas. Foi o que aqui aconteceu. Sim, havia um plot principal e uma história protagonista, mas, durante a narrativa do livro o autor desenvolve de forma tão específica cada um dos personagens, que quando ele termina a história, não teve como ter a sensação de que ficou faltando alguma coisa. Mas isso passa muito mais por uma questão de gosto pessoal de narrativa, eu acho.

O livro baste bastante na tecla da dúvida. “Estaria eu aqui agora se tivesse escolhido tal coisa antes? Seria eu mais feliz se tivesse sido mais corajosa? E se eu tivesse dito não? E se eu tivesse prestado mais atenção?”. São questões que assolam a vida de toda pessoa normal no seu dia-a-dia, e isso de certa forma nos traz um pouco de proximidade com as personagens.

É um livro que eu recomendo para quem gosta do gênero. Não tem muito da parte de investigação policial e de se resolver em si o mistério, mas ainda assim é muito interessante.

P.S.: Sim, finalmente saiu a resenha do livro que eu li na primeira semana da #MLI2016, aos 45 do segundo tempo, considerando que a segunda semana praticamente acabou e a terceira está começando lol

[off-topic] “the road so far …” #MLI2016 (ou como estão as coisas após a primeira semana de maratona e atualização de aquisições *0*)

Olá!~

Esse post era pra ter saído no domingo, mas como eu ainda ia postar a resenha de Soppy, resolvi adiar um pouquinho. Ainda assim, estou aqui para falar como foi minha primeira semana de Maratona Literária de Inverno 2016!

Esse ano, respeitando minhas limitações, decidi por um TBR simples, de um livro por semana, ou seja, um livro por tema, o que me pareceu bastante razoável.

De férias das aulas da pós e das aulas de alemão, me sobrou um tempinho extra que ajudou também, e com certeza vai ajudar, essa pessoa aqui a fugir do flop – eu espero né lol – .

Nessa primeira em que o tema era ‘livros encalhados’, eu li o livro Nada Dura Para Sempre do autor Sidney Sheldon e em breve eu trarei a resenha dele por aqui. Finalmente depois de mais de 6 anos na minha estante, eu li esse livro.

Além disso, essa semana chegou meu mais novo livro.

SIIIM! Eu havia prometido dar um tempo, mas eu tinha 15% de desconto na Amazon que veio da minha última compra e pensei “bom já que eu tenho mesmo, vou usar” e acabei comprando o livro O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares by Ransom Riggs. Já havia algum tempo que eu estava de olho nesse livro e ele surgiu com um preço bacana que não teve como resistir.

20160711_165923.jpg

Aliás, eu postei a foto de Anexos e O Destino da Número Dez porque estavam na minha TBR no post da #MLI2016 mas não postei foto da minha aquisição junto a Amazon – a que me gerou um cupom de desconto xD –então vou deixar aqui a foto, que além desses dois livros citados ainda comprei Os Contos de Beedle, o Bardo da J.K. Rowling, um sonho de consumo meu, uma fanática por Harry Potter – daquelas que quer tudo que puder colocar as mãos que tenham a temática xD – aproveitando uma promoção que estava tendo.

20160624_161605.jpg
A Amazon tava com uma promoção, não lembro direito ao certo, em que se no mês você comprasse, vinha esse bonequinho pra montar. Aí eu fiz o meu xD Parece que terão outras versões ao longo do ano também.

Bom, é isso, um post mais de atualização de como as coisas andam e para deixar registrados minhas últimas aquisições. Estou muito satisfeitas com elas aliás, apesar de estar completamente falida agora. No Money. Dura. Sem um real sequer. Mas tudo bem, acontece lol.

Em breve eu venho com a resenha do livro lido na primeira semana da maratona, e com a atualização quanto a segunda semana, assim que ela acabar !~ ^^

[off-topic – #MLI2016] Maratona Literária de Inverno 2016 ou #MLI2016

Olá,

20160626_233639[1].jpg

O post de hoje é um pouco diferente pois, venho por meio dele noticiar que decidi participar da Maratona Literária de Inverno 2016! – yeeeey -.

O evento é organizado pelo canal Geek Freak  e já acontece à algum tempinho. Essa é a segunda vez que participo desse evento, sendo a primeira em 2015 – os posts tão aqui no blog, nas tags #MLI2015 ou Maratona Literária de Inverno 2015, pra quem tiver curiosidade de ver como eu falhei miseravelmente ano passado, aliás lol –.

Esse ano a tag oficial do evento é #MLI2016 e eu estarei postando aqui minha tentativa de progresso na maratona desse ano.

Quem tiver interesse ou curiosidade sobre o evento, é só dar uma olhadinha nesse vídeo que ele expilica tudo. Eu não conheço o Victor, dono do canal, nem nada nesse estilo, mas conheci a Maratona de Inverno ano passado através do convite de uma amiga. Eu acho a ideia muito legal pois dá um empurrão nas leituras do ano, principalmente porque te dá temas e te faz traçar algumas metas.

A Maratona Literária de Inverno 2016 ou #MLI2016 vai acontecer entre os dias 03 de julho à 31 de julho, totalizando quatro semanas que serão dividas em temas. E as semanas temáticas serão:

  • Semana 1: Encalhados

Livros que estão na estante há mais de um ano

  • Semana 2: Hype

Livros que receberam uma quantidade grande de promoção; que foram muito falados

  • Semana 3: Outros Mundos

Livros que se passam em outros universos, planetas e/ou realidades

  • Semana 4: Diversidade

Livros com elementos ou personagens que representem diferentes culturas, costumes e/ou etnias

As semanas temáticas não são obrigatórias e a quantidade de livros a ser lidos não é pré-determinado. Cada um faz sua lista de leitura e faz o seu melhor pra cumprir ela.

A minha TBR – to be read, ou listinha de leitura lol – já está pronta e é essa aqui:

20160623_140913.jpg
Fiz minha TBR no meu caderno/agenda- um em que eu anoto de tudo, uma bagunça lol -.

São quatro livros que eventualmente podem se tornar mais, mas vamos tentar manter a calma e cumprir com o objetivo mínimo e tentar concluí-lo com sucesso.

  • Semana 1: Encalhados

Nada Dura para Sempre – Sidney Sheldon

Ganhei esse livro na versão vira-vira da coleção Saraiva, há alguns anos já – uns 5 anos aproximadamente – e li um lado dele, inclusive se não me engano para a Maratona de Inverno 2015. Dessa vez quero fazer a leitura desse lado que falta para não ficar com esse livro “incompleto” na minha estante.

  • Semana 2: Hype

Anexos – Rainbow Rowell

Li o livro Fangirl dessa autora – aliás, preciso postar sobre ele aqui no blog, tô atrasada já – e gostei bastante da forma de escrever da autora. Sempre quis ler Eleanor e Park de sua autoria, mas, uma amiga minha elogiou demais Anexos e como estavam todos falando sobre esse livro, decidi colocar a leitura dele na frente.

  • Semana 3: Outros Mundos

O Destino da Número Dez – Pìttacus Lore

Sou apaixonada pela série Os Legados de Lorien e estou muito ansiosa para ler o novo livro da série, considerando o fato de que em breve deve sair o novo, que dizem, vai ser o último livro da série. Já tô triste pensando que ela vai acabar, mas quero demaaais ler e ver o que vai acontecer.

A história se passa na Terra, mas com a presença de seres de outros planetas, sendo assim um livro que se encaixa no tema da semana 3 da maratona!~

Aproveitando que comprei esse livro e ele chegou a tempo da maratona, vou colocar ele aqui pra eu ler.

  • Semana 4: Diversidade

Tudo pode acontecer – Will Walton

Esse livro está na minha lista de leitura a um tempo já. Conta a história de Tretch Farm que mora numa cidade pequena e se apaixona por Matt, seu melhor amigo.

Esse resuimho de duas linhas já mostra que o livro se encaixa na semana temática 4 .

Li o resumo do livro e achei a história muito interessante e tenho ele como leitura futura a algum tempo, por isso decidi colocá-lo na minhta TBR da maratona, unir o útil ao agradável xD

Bom gente, é isso. A Maratona Literária de Inverno 2016 começa em breve. Vou usar a hashtag #MLI2016 nos posts relacionados a ela e é isso.

P.S.: Prometo que em breve volto com resenha de livro e com um post sobre o primeiro semestre do ano, um diário sobre minhas leituras desses seis primeiros meses, sobre a vida e um pouco de tudo mais.